Relatos do Japão – Por Ricardo Martins (Parte 2)

(Parte 1 aqui)

“Hoje foi o dia de ir pra Harajuku e Shibuya. A gente andou bastante por lá e o mais legal foi que fomos na Sex Pot Revenge, H. NAOTO, Closet Child e a loja mais foda de todas: a YELLOW HOUSE! Você gosta de Visual Kei e não sabe o que é Yellow House né? Pode admitir que não sabe nem o que é, não tem problema. Vou comentar outra coisa até vocês googlearem aí. Eu e o Felipe hoje ficamos andando com blusas de banda. Eu com a do LUNA SEA e ele com a do SiM. Engraçado que uma japa gorda me parou na loja de 100 ienes, apontou para a minha pulseira, mostrou a dela e falou: “IT’S THE SAME!” Aí eu até ia puxar assunto com ela, mas ela saiu correndo de vergonha. Japoneses… Aliás, o SiM tá ficando bem popular por aqui.

takeshita street

Depois, quando chegamos na Takeshita Doori, um cara da loja começou a falar com a gente porque ele é organizador de eventos daqui e o Felipe estava com a blusa do SiM, como já falei aí em cima. Ele é muito fã de hardcore e quando era mais novo, curtia muito visual kei. Ele gostou das bandas grandes daqui como o L’Arc, Luna Sea, Sophia, GLAY dentre outras e falou com a atendente, que conversou bastante com a gente sobre visual kei velho. Sério, ela conhecia tudo o que eu conhecia e isso era muito foda! Ela acompanha a cena e falou que não gosta muito de visual kei novo, embora ela conheça por trabalhar em Harajuku. Quando a gente falou sobre ROUAGE com ela, ela começou a rir, falou que tinha vergonha de ter gostado de ROUAGE porque eles mudaram muito depois de um tempo. Ela ficou tão impressionada que falou pro outro atendente algo como: “OLHA, ESSES ESTRANGEIROS SÃO DO BRASIL E CONHECEM BASTANTE DE VISUAL KEI VELHO!” Foi bem legal porque o outro atendente conhecia bandas de hardcore do Brasil que eu nem conhecia. Agora, voltamos para a YELLOW HOUSE.

yellow house

Cheguei lá com a blusa do LUNA SEA e a velhinha olhou e falou: “SEU MALDITO, VOCÊ FOI NO SHOW DE 25 ANOS DE LUNA SEA!” (ela falou muito konoyarou nessa hora xD) Tinha 3 japas (gatas), que eram um grupo cosplay de LUNA SEA e elas estavam no show de ontem. Uma era o SUGIZO e a outra era o J (provavelmente a que sobrou era o INORAN). A japa da YELLOW HOUSE é super foda e ganhei ela quando eu falei que ela era muito famosa, porque ela praticamente inventou o Visual Kei.

Falando um pouco sério agora, a YELLOW HOUSE é uma loja que está aberta há uns 30 anos no mesmo lugar. Sabe todas as roupas que você já viu por aí em Visual Kei, principalmente das bandas antigas? Então, foi ela quem fez. Eu até falei que tinha roupa parecida com Plastic Tree lá e ela falou: “AQUI NÃO TEM PARECIDO. É A MESMA ROUPA. É MEU DESIGN. OLHA AQUI OS MEUS INGRESSOS PROS SHOWS E FOTOS COM OS MEMBROS DE BANDA.”

Sério, na loja até dei uma respirada funda porque ali era literalmente o berço do visual kei, se é que pode se chamar assim. Lá tinha foto dela COM TODO MUNDO. Sim, do BUCK TICK até bandas mais recentes como o DOG IN THE PWO. Ela falou: “ANTIGAMENTE O YOSHIKI VINHA AQUI, MAS ELE NÃO VEM MAIS, AQUELE VIADO.” (peguei a mania de traduzir pro carioquês). Ela faz o design de roupas do LUNA SEA e do BUCK-TICK até hoje. Ela fez a maioria dos visuais (se bobear, todos) os da EXTASY RECORDS e tem fotos com todos os caras. Muito foda. ÓBVIO que eu e o Felipe saímos felizes pra caralho de lá. Ela falou que os membros de banda ainda vão lá procurar ela pra fazer roupa. Pensa em uma banda visual. Pensou? Então, a roupa é dela. O mais foda é ver os autógrafos dela. Ela tem autógrafo do LUNA SEA de 1992 e tinha passe vip do primeiro TOKYO DOME do BUCK-TICK.

Compramos umas roupas legais lá e o mais foda foi quando eu falei sobre DEAD END. Além dela ter se espantado pelo fato de sermos brasileiros e conhecermos pra caralho de visual kei, ela teve aqueles over reaction de japoneses quando eu falei de DEAD END. Ela falou que o Morrie é amigo dela até hoje e ela mostrou a roupa mais atual que o Morrie está usando e que ela fez.

Uma hora, entrou um cara de uma banda que parecia o Miku do An Cafe e ele falou que tinha uma banda cover de An Cafe e que queriam virar mais oshare. Ele foi na Takeshita procurar visual pra banda porque eles vão fazer show. Ah, outra coisa legal de ir na Yellow House foi ver que os caras usavam as mesmas roupas antigamente. (tem um visual do hide que é o mesmo do tusk do ZI:KILL por exemplo).

Depois a gente foi numa loja onde o atendente era guitarrista e vocalista solo de Visual Kei e ficou conversando comigo sobre VK também. Super gayzinho ele, falava baixo pra caramba, daí ficou impressionado quando eu falei que eu tinha ido em show de visual no Brasil. Ele falou que a banda preferida dele é o LUNA SEA. Preciso até pesquisar na internet sobre a carreira dele pra postar depois, talvez.

Depois disso tudo, fomos para Shibuya, mas talvez eu deixe pro Felipe postar sobre isso porque aqui já está enorme. Até o próximo report deeeesu!”

Por Ricardo Martins, em 30/05/2014

(Parte 3 aqui)

 

Anúncios

Um comentário em “Relatos do Japão – Por Ricardo Martins (Parte 2)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s