Um dia em Londres – Parte 3

(Para quem não leu: Parte 1Parte 2)

Chegando ao albergue, o Journeys London Bridge, eu larguei minhas coisas e conheci alguns brasileiros. Como já estava tarde e eles não quiseram me acompanhar, fui sozinha pro gran finale do dia: o London Eye, a maior roda gigante do mundo!
O preço foi bem salgadinho (ainda mais pra mim que fico fazendo câmbio mental o tempo todo): custou 18 libras (R$ 54) e por mais 1 libra ainda levei um guia panorâmico 360 graus, que apontava os pontos importantes da cidade pra você reconhecer do alto. Fiquei um pouco triste por não ter ido mais cedo, com certeza a vista seria melhor. Foi um pouco difícil de tirar foto, já que quando usava o flash o vidro refletia a luz e sem flash ficava tremido por causa da alta exposição. O jeito foi colocar a câmera em cima do banquinho no meio da cabine e programar a foto com exposição alta pra não tremer.
Lá no London Eye eu conheci o Ronaldo, um senhor que inicialmente estava conversando comigo com um inglês vacilante mas que eu descobri ser um carioca da gema! Ele tinha vindo de Paris e me contou muito sobre lá, o que me deu ainda mais vontade de visitar um dia).
Saindo do London Eye (depois de dar uma olhadinha nos artigos de Harry Potter na loja de conveniência), eu e o Ronaldo tiramos muitas fotos na Westminster Bridge e, por insistência minha, fomos procurar um Pub, afinal, era indispensável provar uma legítima Real Ale para fechar a noite.
Encontramos um pertinho da estação de Westminster, o St. Stephens Tavern. Pedi à moça do balcão pra me explicar um pouco sobre os tipos de Ale mas além de ser nova no lugar ela não bebia, então usei toda a minha persuasão pra que ela deixasse eu provar um pouco de cada. Pedi uma mais espessa, que eu gostei mais. Era gostosa, mas achei muito estranho beber cerveja quente. Depois ela me recomendou um dos drinks de Guiness da casa, e eu pedi um de morango muito gostoso, recomendo!
Todo o pub é lindíssimo por dentro,  e tem uma vista perfeita para o Big Ben. Além disso não é tão caro, o drink de Guiness não foi mais do que 3 libras (foi 2 e pouco, não lembro bem…) e as Onion Rings também estavam uma delícia.
Depois de apagar no albergue, acordei (não tão cedo quanto deveria) para tomar café e ir pro aeroporto, já que a próxima parada seria Tokyo. Pela primeira vez comi a tão famosa geléia de manteiga de amendoim conversando com dois estonianos simpaticíssimos. Após as trocas de e-mails e despedidas, fui pra estação de metrô e percebi a tempo que tinha esquecido no albergue a minha bolsa de dinheiro com todos os meus ienes! Até voltar lá, buscar (sendo que eu ja estava em cima da hora) e chegar ao aeroporto acabei fazendo check-in às pressas e não tive tempo de ligar pra casa (só pude ligar em Tokyo e minha mãe quase deu um treco). Indo em direção ao portão de embarque ainda passei no Pret a Manger e comprei o sanduíche mais gostoso da minha vida (e olha que eu comia enquanto corria! XD).
Aqui termina a Saga Londrina (Mais fotos na Página do Facebook). Clique aqui para ler os posts sobre a Saga Nipônica, com direito à negociações com a Yakuza, Sexy Shops de 6 andares e Bares de Bikini! Preparem-se para altas emoções (?).
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s